Linha do Tempo

A inauguração da PRG-3 Rádio Tupi

Setembro de 1935

Em 25 de setembro foi inaugurada a PRG-3 – Rádio Tupi, que já havia feito a sua primeira irradiação, no dia 15 de setembro, com um programa musical, que teve início com a execução do Hino Nacional cantado pelo coro de 120 professores regidos pelo maestro Heitor Villa-Lobos. No programa de Inauguração da Rádio Tupi, o diretor-presidente e fundador dos Diários Associados, Assis Chateaubriand, convidou pessoalmente o inventor italiano da telegrafia sem fios, Guglielmo Marconi; também conhecido como Márquez de Marconi, que 4 anos antes havia ligado diretamente de Roma, também a convite dos Associados, a iluminação da estátua do Corcovado no Rio de Janeiro. A chegada de Marconi teve repercussão nacional digna de um chefe de estado. Tanto representantes do então Distrito Federal, quanto o povo do Rio de Janeiro, recepcionaram Marconi com grande entusiasmo.

1935

A Rádio Tupi foi a primeira a anunciar o fim da Segunda Guerra Mundial

1945

Programa "Carnaval Antigo"

A gravação do programa Carnaval antigo foi feita pelo Sr. Claudio Hasslocher em sua residência, em Santa Tereza, no Rio de Janeiro, com um gravador doméstico acoplado a um aparelho rádio-receptor. A velocidade de gravação foi de 24 rotações por minuto e o suporte utilizado para a fixação do som foi uma chapa de raios X usada. Trata-se, portanto, de uma gravação curiosa, inusitada, rara, pioneira e histórica. Vez por outra, a estação saía de sintonia dificultando a compreensão das palavras. Por esse meio, várias preciosidades radiofônicas foram preservadas.

1946

Programa "O Pessoal da Velha Guarda"

Este é talvez o mais brasileiro de todos os musicais recuperados para a posteridade. É uma criação de Almirante e que contava com a colaboração de nada menos que Pixinguinha, Benedito Lacerda e seu Regional, Raul de Barros e o Grupo dos Chorões e a Orquestra do Pessoal da Velha Guarda. Tudo era feito visando enaltecer as composições brasileiras do passado com destaque para Chiquinha Gonzaga, Irineu de Almeida, Zequinha Reis, Leopoldo Froes, Nelson Alves, Ernesto Nazareth, André Victor Correa, Anacleto de Medeiros, Heckel Tavares, Eduardo das Neves, Paulinho Sacramento, Henrique Mesquita, Angelino de Oliveira, Pedro Galdino, Catullo da Paixão Cearense, Luiz de Souza, Aurélio Cavalcante, Armando Percival, Miguel Emilio Pestana, Guimarães Passos, Mário Alves, Bonfiglio de Oliveira e muitos outros notáveis da velha guarda da música popular brasileira do inicio do século.

1946

Programa "Incrível, Fantástico, Extraordinário"

A famosa série de programas Incrível, Fantástico, Extraordinário, foi criada em 1947 por Almirante, um dos mais importantes produtores do rádio brasileiro. Durante o programa, Almirante narrava com a ajuda do elenco de rádio-teatro da Rádio Tupi, histórias sobrenaturais enviadas pelos ouvintes. Nessa época a sonoplastia era feita ao vivo com a orquestra dentro do estúdio e com arranjos especiais para cada caso. Segundo o próprio Almirante, as histórias eram consideradas verídicas e na época causaram muita polêmica na imprensa e nos meios radiofônicos. Mais de 100 casos fantásticos foram narrados por aquele que era considerado “a maior patente do rádio brasileiro”.

1946

"Oração da Ave Maria" e "Pausa para Meditação" com Júlio Louzada

A partir do final da década de 1940, a Rádio Tupi passou a transmitir às 18 horas uma programação com a “Oração da Ave Maria”, seguida de “Pausa para Meditação”, na voz de Júlio Louzada.

1949

Incêndio

Um grande incêndio tomou conta dos estúdios da PRG-3, o que levou a emissora a realizar suas transmissões de um estúdio emprestado pela Rádio Guanabara, na Avenida 13 de Maio. Depois de muitas obras, a Rádio Tupi passou a ocupar três andares do prédio da Avenida Venezuela.

1949

Programa "Viva o Samba"

Esta série foi irradiada pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro. Os primeiros programas foram produzidos por Haroldo Barbosa e apresentado por Almirante e Dircinha Batista. Posteriormente, com a transferência de Haroldo Barbosa para a Rádio Mayrink Veiga o programa passou a se produzido por Chico Veiga e apresentado ora pelo locutor Fernando José, ora por Jamelão, ora por Roberto Paiva e no final por Luiz Vieira. Em comemoração à Copa do Mundo de 1950, a Rádio Tupi inaugurou, no último andar do prédio, o maior estúdio da América Latina: “Maracanã dos Auditórios”, de onde 1500 pessoas podiam assistir aos programas. Canções de Natal. Programa especiais de Natal patrocinados pela Revista O Cruzeiro e levados ao ar nos dias 08 e 22 de dezembro de 1950 pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

1950

Programa "No Tempo do Noel Rosa"

Esta série é da maior importância histórica para a música popular brasileira. São todos os maravilhosos programas que Almirante apresentou na Rádio Tupi em 1951 contando a vida de Noel Rosa e ilustrando o programa com mais de 100 músicas interpretadas pelos mais renomados astros da emissora e tendo como conidada especial a maior interprete de Noel: Aracy de Almeida. Além disso, o programa nos mostra o irmão de Noel – Helio Rosa – executando ao violão, à moda de Noel, alguns números interpretados por Aracy de Almeida. Foi com base nesta série que Almirante escreveu seu famoso livro No tempo de Noel Rosa. Vale a pena conhecer,em detalhes, a vida do Poeta da Vila.

1951

Ary Barroso - 15 anos

Ary Barroso realiza um programa especial em homenagem aos seus 15 anos de rádio TUPI.

1952

Programa "Rua da Alegria"

Era escrito e apresentado por Antônio Maria. Além de quadros humorísticos, o programa trazia números musicais nas vozes dos mais famosos cantores do rádio brasileiro. O programa era realizado diretamente do Maracanã dos auditórios, que ficava lotado em todos os dias de apresentação. O elenco era composto por Nancy Wanderley, Hamilton Ferreira, Orlando Drumont, Abel Pera, Maria do Carmo, Nádia Maria, João Fernandes, Matinhos e outros. Os números musicais tinha o acompanhamento da Orquestra Carioca regida pelo maestro Cipó.

1952

Programa "Aquela Casa de Família"

Escrito e produzido por Haroldo Barbosa.O programa narrava a história de uma família que se reunia toda semana para jogar víspora e viverem hilariantes situações. Faziam parte do elenco de comediantes os seguintes artistas: Lauro Borges, Castro Barbosa, Hamilton Ferreira, Nancy Wanderley, Nádia Maria, Matinhos, João Fernandes, Castro Gonzaga, Otávio França, Orlando Drumont, Terezinha Moreira, Maria do Carmo, Avalone Filho e Paulo Porto.

1952

Programa "A Favelinha"

Um programa humorístico apresentado sob a forma de rádio-teatro, todos os sábados, às 20 horas. Cada programa focaliza um tema com situações engraçadas. Faziam parte do elenco de comediantes: Hamilton Ferreira, João Fernandes, Abel Pêra e Otávio França, entre outros.

1952

Programa "Baião em sua casa"

Esta série fez parte fez parte dos festejos juninos da PRG-3 Rádio Tupi no ano de 1952. Os programas, produzidos pelo próprio compositor, contavam a história da família Gonzaga e do baião, gênero musical que ficou conhecido pelas mãos de Luiz Gonzaga. A série de apresentações fez tanto sucesso que mais edições foram apresentadas. Uma curiosidade é que a relação de Luiz Gonzaga com a Rádio Tupi teve início em 1940, quando ele se apresentou no programa Calouros em Desfile, de Ary Barroso. As primeiras apresentações no programa não fizeram muito sucesso. No entanto, ele não desistiu e decidiu um dia apresentar a música vira e mexe. O sucesso foi imediato e Luiz Gonzaga obteve a nota máxima, raramente dada a alguém, além do prêmio de 150 mil reis.

1952

Inauguração do transmissor de 100 kw da Rádio Tupi

Diretamente do “Maracanã dos Auditórios”, a cantora Ângela Maria deu início a uma série de apresentações memoráveis, acompanhada pela Grande Orquestra Tupi, sob a regência de Mozart Brandão.

1959

Surge a Patrulha da Cidade

Foi ao ar no dia 02 de janeiro de 1960. O jornalista Afonso Soares, que criou o programa policial humorístico, era quem lia as notícias policiais em tópicos curtos, sucintos e cheio de gírias de policiais e bandidos. No início, Afonso teve que lutar com a direção da rádio por causa dos termos ousados e avançadíssimos para a época, mas conseguiu manter o programa no ar.

1960

Samuel Correia e Nelson Batinga

O segundo apresentador da Patrulha surgiu quando Afonso Soares foi numa barbearia na cidade de São Fidélis, e conheceu um barbeiro super divertido e bem falante: o Samuca. Samuca foi o apresentador mais famoso do rádio policial. Afonso Soares redigia e apresentava juntamente com o Samuel Correa o programa que tomou conta da cidade. Com o crescimento do programa, Afonso Soares decidiu colocar reportagens ao vivo. Foi aí que o grande repórter policial Nelio Bilate que mandava, e continua mandando até hoje, na lata entrevistas de dentro das celas, no meio dos presos, criminosos que praticaram desde simples furtos até assassinatos com requintes de perversidade, surgiu na Patrulha. O tempo foi passando, a audiência aumentando… Num certo dia, bem longe nos primórdios da Patrulha, Afonso tava de papo num barzinho com o amigo e jornalista Nelson Batinga, o Babá, que também era produtor e redator do programa. Os dois presenciaram um a briga à beira do balcão. A dupla não teve dúvida, decidiu colocar o diálogo no programa como rádio teatro.E Nelson Batinga explicou: “Assim como tem num jornal a fotografia que fala mais do que palavras, e é a imagem contundente do ocorrido, a Patrulha vai levar das ruas ao microfone e nele com os nossos astros a você em sua casa as ocorrências policiais em pinceladas duras e vivas.” Nelson Batinga, portanto, inseriu na Patrulha o rádio teatro que emocionou a audiência! E se tínhamos o rádio-teatro claro, muito se deve ao trabalho do sonoplasta e técnico de som Salvador Ayelo, que àquele tempo atuava na Patrulha da Cidade. O talentoso italiano mais brasileiro do mundo, durante muitos anos garimpou vinhetas em discos 78 e LP’s. Os temas musicais e as vinhetas tinham a finalidade de transportar o ouvinte para o clima das ocorrências. Eram trechos musicais de grande importância, levados a Patrulha pelo sonoplasta e técnico de som, Ayelo, que trabalha na Super Rádio Tupi até hoje. Há que se falar também no excelente professor e apresentador da Patrulha da Cidade o jornalista Juarez Getirana. Homem dedicado ao ramo da saúde, que até a sua morte apresentava e dirigia, de maneira dedicada o programa.

1960

Gegê

Gegê, como era conhecido pela audiência, construiu e ensaiou rádio-atores para encarnarem tipos, como o super conhecido, campeão de correspondência, o “caçador”, “Zezinho” e outros. Foi ele quem deixou a Patrulha da Cidade nos moldes que o programa vai ao ar até hoje.

1960

Brasil Tetracampeão com Doalcei

Foi marcada por grandes acontecimentos e a Rádio Tupi esteve presente, levando todos os fatos para seus ouvintes. A equipe esportiva da Rádio Tupi teve uma excelente atuação em três Copas do Mundo de grande repercussão: A de 1990, em que o Brasil terminou como 9º colocado, a de 1994, que o Brasil foi Tetracampeão e a de 1998, em que o Brasil chegou à final, mas perdeu para a França. Doalcei Bueno de Camargo era o locutor oficial de todas as Copas, mas não estava na emissora durante a Copa de 1990. Doalcei retornou à Rádio Tupi em 94, já como locutor principal da Copa. Nesta época, a Tupi já contava com grandes nomes que fazerm parte da emissora até hoje, como Clóvis Monteiro. Pedro Augusto e a turma da Patrulha da Cidade. Também em 1995, a emissora contava com uma excelente grade de programação que segue até os dias atuais, com Clóvis Monteiro, Patrulha da Cidade e Pedro Augusto.

1994

A morte de Daniela Perez

Outro fato de grande repercussão da década foi o assassinato da atriz Daniela Perez. A Rádio Tupi realizou uma entrevista exclusiva com sua mãe, Glória Perez, no programa Marne Barcelos, em 1993.

1993

Pentacampeão da Copa do Mundo

O jornalismo esportivo da Super Rádio Tupi, que já contou com Ary Barroso e sua gaitinha, Doalcei Camargo, Rui Porto e um time de super craques que conta com Washington Rodrigues (Apolinho), Jota Santiago, Geraldo Senna, Luiz Ribeiro, Wagner Menezes, Eugênio Leal, além dos repórteres setoristas, que são responsáveis por cobrir o dia a dia dos clubes. E no início de 2000, exatamente no ano de 2002, o Brasil conquistou o título de pentacampeão mundial.

2002

Primeiro transmissor digital do Brasil

A Super Rádio Tupi é uma das pioneiras na radiodifusão brasileira e ao longo de sua existência, vem fazendo parte da vida e da história da população carioca. Com uma trajetória de sucesso, várias personalidades entre locutores, cantores, rádio atores, comunicadores e repórteres, passaram pela emissora. Seus estúdios passaram por diversas reformas para contar cada vez mais com a modernidade e sofisticação de novos equipamentos.

2005

70 anos

O ano de 2005 foi um ano especial. A Super Rádio Tupi comemorou os seus 70 anos com uma programação especial e também inaugurou o seu transmissor digital. Os ouvintes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco sobre a trajetória da emissora.

2005

Nena Martinez e você: Especial 68 anos de rádio

Como parte da comemoração, a inesquecível e saudosa Martinez levava para o público um programa especial: Nena Martinez 68 anos de Rádio.

2005

Tupi AM+FM

Em busca de um novo público e melhor qualidade sonora, no dia 1° de junho de 2009, a emissora inovou, levando a tradicional programação em AM também para o FM simultaneamente. Em menos de um ano a Super Tupi AM + FM passou a ter liderança absoluta de audiência, superando todas as emissoras com um sucesso de público, gerando um resultado de 254.478 ouvintes por minuto. Também neste ano, ampliou a sua cobertura, com a criação da Super Rede Tupi de Rádio, passando a atuar na cidade do Rio de Janeiro e no grande Rio, estando presente em 17 municípios.

2009

50 anos da Patrulha da Cidade

No dia 02 de janeiro de 2010, o programa “A Patrulha da Cidade”, comemorou os seus 50 anos. Foi criado pelo jornalista Afonso Soares e tem como objetivo levar os fatos verídicos do dia-a-dia de maneira bem humorada para os ouvintes. Sucesso absoluto ao substituir os romances da rádio novela por dramatizações policiais, o programa conseguiu conquistar todos os públicos, o que o transformava em líder de audiência desde o seu surgimento. Os apresentadores da Patrulha da cidade eram Coelho Lima e Silvio Samper(aos sábados), que contavam com a ajuda do Garcia Duarte. Na equipe de Rádio atores estavam Cordélia Santos, Mauricío Mantrini, Marcos Veras e Simone Molina.

2010

Campeonato Carioca 2010

Uma campeã de audiência é feita pelo taleto de muitos campeões. Afinal, são 75 anos de conquista.

2010

Furo de reportagem - O Caso Bruno

O departamento de Jornalismo se amplia cada vez mais, sempre com repórteres e estagiários prontos para correrem atrás dos principais fatos da cidade, transmitindo credibilidade para a população, conforme aconteceu no furo de reportagem, que mudou o rumo das investigações sobre o caso do desaparecimento de Eliza Samudio, em julho de 2010.

2010

Tupi 75 anos de emoção

Quando se fala no sucesso da RÁDIO TUPI, você pensa logo nos números de audiência obtidos nos últimos anos – que mostram sua força e a magia do seu relacionamento com o público carioca. Já outros pensam logo na trajetória histórica de uma emissora que lançou os principais nomes da música brasileira. Muita gente lembra do pioneirismo no jornalismo e da popularização das transmissões de futebol. Há, enfim, quem recorde da sua força comercial, do seu investimento em tecnologia, da adoção de novas plataformas, da obsessão em fazer da RÁDIO TUPI modelo de atitude e de perfomance. Bem, as razões ficam por sua conta – porque todas elas foram decisivas para a SUPER RÁDIO TUPI chegar mais forte do que nunca a esses 75 ano. Pura emoção.

2010

Tupi 82 anos: Deu a maior sintonia

O ano de 2017 foi marcado por muitas mudanças na SUPER RÁDIO TUPI.  Grandes nomes do rádio como Antônio Carlos, Francisco Barbosa, Anthony Garotinho e Alexandre Ferreira se juntaram à Família Tupi e o resultado foi só sucesso. A nova grade de programação se consolida líder de audiência em todos os horários, deu a maior sintonia.  Inovando e se renovando, pela primeira vez na história da rádio, os noticiários “Sentinelas da Tupi” e “Tupi Notícias”, é apresentado por uma mulher, Rachel Amorim. Mas a Tupi foi além das ondas sonoras e repete o sucesso do rádio também na internet. Com as ferramentas que possibilitam a transmissão em tempo real por meio das redes sociais, o público agora pode assistir tudo o que vai ao ar em nossa programação no rádio, também na internet. E as partidas dos clubes cariocas não ficaram de fora, se tem jogo do seu time de coração, tem Live direto da cabine. Mais uma vez, a Tupi sai na frente e coloca à disposição dos seus ouvintes vários canais de informação e interação.

2017