05/01/18 - 16:41

Já em clima de carnaval, confira os blocos do fim de semana

Foliões já podem ir às ruas para curtir as fanfarras da cidade

Domingo 07/01, começam os festejos do momo. Com ele, os primeiros blocos de rua do Rio estarão fazendo a alegria dos foliões na região do centro da cidade. O carnaval já respira, está na hora de tirar sua fantasia do armário e correr para as ruas. Confira:

Fanfarra Black Club – Início às 11:00 nas escadarias do Lavradio.

O bloco foi criado em 2013 e une Black Music com a animação do carnaval Carioca. A Fanfarra já arrastou dois mil foliões em desfiles sem divulgação oficial. Durante o carnaval, desce as ladeiras de Santa Tereza, no centro do Rio. No seu repertório, sucessos nacionais e internacionais, desde clássicos dos anos 70 até hits atuais, agitam a multidão.

Fanfarra Black Club. Foto: Divulgação.

Multibloco – 12h na Rua do Mercado

Criado por funcionários de uma editora na Lapa, em 2008, os fundadores só queriam se divertir em seu próprio bloco de carnaval.  Apesar da ideia ser sensacional, nenhum dos criadores sabia tocar instrumentos musicais, com isso o primeiro desfile com bateria foi em 2009. Hoje, o grupo mantém aberta a oportunidade para qualquer ritmista que se interesse em fazer um som no carnaval carioca.

Multibloco. Foto: Divulgação

Cordão da Bola Laranja – 13:00 Na cinelândia

Natural o bairro Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. O Bloco da Bola Laranja, une orquestra, axé, samba, funk, pagode e marchinhas de carnaval. O bloco leva esse nome devido ao bairro ter vivido um auge do cultivo de laranjas no século passado, tendo inclusive monumentos em forma de laranjas espalhados pela região.

Cordão da Bola Laranja: Foto: Divulgação.

Vem Cá, minha Flor – 14:00 Buraco do Lume.

O bloco foi fundado em 2015, pelos amigos Edu Machado, Leo Santana e Marcelo Lima. Vem, cá Minha flor, tem participação de músicos do Orquestra Voadora, o Céu na Terra, o Multibloco e a Fanfarra Black Club. O repertório do grupo é uma grande mistura de ritmos. Os foliões seguem o bloco dançando do samba ao forró, do funk ao axé, passando por rock, pop e reggae.

Bloco “Vem cá, minha flor”. Foto: Divulgação

Orquestra Voadora – 14h na Praça Marechal Âncora

A Orquestra Voadora é velha conhecida do carnaval Carioca. Em cada apresentação, a banda arrasta multidões pelas ruas. O grupo promove a mistura de ritmos como rock, funk, pop e jazz com os já tradicionais frevo, samba e maracatu.

Orquestra Voadora. Foto: Divulgação.

Maracutaia – 15h no obelisco da Primeiro de Março

Completando doze anos em 2017, o grupo Maracutaia é um entusiasta da cultura popular. Maracutaia é formado por 9 músicos e 1 bailarina e une música popular brasileira com ritmos de matriz africana.

Bloco Maracutaia. Foto: Divulgação.

Locomotiva da Baixada – 14h na Rua do Mercado

A fanfarra nasceu em 2016, em Duque de Caxias. Formada por músicos profissionais e amadores, a banda ensaia  na Praça do Pacificador  e faz turnê pelas periferias do Rio de Janeiro.

Locomotiva da baixada. Foto: Divulgação

Biquinis de Ogodô – 15h na Praça XV

Trompetistas, saxofonistas, trompetistas e toda variação de músicos dentro do bloco, vão às ruas de biquinis, sunga e maiô. Em clima descontraído, a fanfarra leva o público às risadas no meio de muita dança e diversão pelas ruas do centro do Rio.

Biquínis de Ogodô. Foto: Divulgação

Mulheres Rodadas – 15h, no Boulevard Olímpico

O Bloco Das Mulheres Rodadas, é o primeiro bloco feminista do carnaval carioca. O grupo surgiu de uma publicação no Facebook, dizendo que homem não merecia mulher rodada. Mulheres Rodadas foi criado com base na ideia de que mulheres não devem receber um rótulo e é também, uma forma de protesto. Em 2016, três mil e quinhentas pessoas foram às ruas dançar e cantar com o cortejo.

Mulheres Rodadas. Foto: Divulgação.

Me enterra na quarta – 15:30 em frente ao Museu de Arte Moderna

Nascido em 2004, o grupo de Santa Teresa é pra dançar muita marchinha ao som de instrumentos de sopro e percussão.

Me enterra na quarta. Foto: Divulgação.

Trombetas Cósmicas do Jardim Elétrico – 16h na praça XV

Com repertório autoral, a fanfarra faz covers inspirados no movimento musical criativo/progressivo/psicodélico dos anos 60 e 70 no Brasil e no mundo.

Trombetas cósmicas. Foto: Divulgação.

Besame Mucho – 16h na Praça Mauá

Pra quem curtiu muito Despacito em 2017, Besame Mucho é que há. O grupo traz os melhores hits latinos com bastante espanhol, músicas brasileiras e afro-caribenhas.

Bloco Besame Mucho. Foto: Divulgação.

Traz a Caçamba – 16h na Rua do mercado

Em homenagem à músicas “Traz a Caçamba” do grupo Molejo, o bloco elege a melhor fantasia do cortejo, sorteia uma garrafa de catuaba e acima de tudo, é claro, tem a política do respeito acima de tudo. O mais legal é, todas as fantasias concorrendo, devem fazer referência ao grupo Molejo.

Traz a caçamba. Foto: Divulgação.

Sinfônica Ambulante – Às 16h próximo às barcas

Formada em 2011, a Sinfônica Ambulante sempre quis fazer arte de livre acesso ao ocupar espaços públicos com muita música e diversão. Os ensaios do grupo acontecem em Icaraí (Niterói). Com músicas que vão desde o samba de Zé Kéti ao rock do Nirvana e dos Beatles, não tem espaço pra ficar parado no bloco.

Sinfônica Ambulante. Foto: Divulgação.

Bloco dos Tubas – 17h, no Boulervard Olímpico

O bloco dos tubas é uma banda que também tem um bloco de carnaval. Só com instrumentos de sopro como tuba e saxofone. A atração também estará presente nos festejos do momo, pra abrir o carnaval na cidade.

Bloco dos tubas. Foto: Divulgação

Bloco do AfroJazz – 17:00. Próximo à estatua do Cândido Mendes, ao lado das barcas.

Levando o som africano às ruas do Rio de Janeiro, Afrojazz é um bloco cheio de dança e misturas. Movimentando a galera com sax, trompete e guitarra, o grupo vem desde 2012 embalando os foliões com um balanço diferente dos demais blocos.

Afrojazz. Foto: Divulgação.

Cordão do Boi Tolo –  18h na Praça XV

Fundado a doze anos, o cordão do Boi Tolo não tem liderança, não tem horário e nem trajeto definido, mas acima de tudo tem orgulho disso. O bloco surgiu em 2006, quando o cordão do Boitatá não desfilou, sendo assim, os foliões criaram outro desfile de carnaval, o do Boi Tolo, que faz sucesso até hoje.

Cordão do Boi Tolo. Foto: Divulgação.

 

0 comentários