14/03/18 - 12:18

Cresce o número de mulheres assediadas em transportes públicos

Em pesquisa, 85% das entrevistadas afirmaram já terem tido seus corpos tocados sem consentimento

por: Isabella Mendes

Em pesquisa, 85% das entrevistadas afirmaram já terem tido seus corpos tocados sem consentimento. Foto: BPW Brasil

Um homem foi preso por policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) acusado de atentado ao pudor dentro de um coletivo na Linha Vermelha, na altura de Duque de Caxias, na noite da última terça-feira (13). De acordo com a polícia, o criminoso, que não teve a identidade revelada, foi preso após cometer ato obsceno dentro veículo. A vítima e testemunhas foram encaminhadas para a 59ª DP (Duque de Caxias).

Casos de assédio em coletivos em 2017

No ano passado, três casos de assédio dentro de transportes públicos assustaram passageiros do Rio e de São Paulo. Em agosto de 2017, uma mulher sofreu um assédio sexual dentro de um ônibus na Avenida Paulista. O homem que teria ejaculado na vítima já tinha cinco passagens pela polícia pelo crime de estupro.

Um dia depois, o mesmo caso aconteceu na mesma avenida. Dessa vez, a vítima relatou que o agressor passou a mão em seus seios. O motorista fechou a porta e chamou a polícia, que deteve o agressor.

Já no Rio, um homem foi detido por assédio sexual após ejacular na perna de uma passageira na estação Mato Alto do BRT, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. De acordo com o Consórcio BRT na época, a vítima procurou os policiais da PROEIS, responsáveis pela segurança no transporte, que apreenderam o homem em flagrante.

Uma pesquisa realizada pela ONG Think Olga com quase 8 mil mulheres constatou que 99,6% das participantes já foram assediadas. 83% consideraram a atitude como assédio, 90% já trocaram de roupa antes de sair de casa pensando onde iam e 81% já haviam deixado de fazer algo (ir a algum lugar, passar na frente de uma obra, sair a pé) por esse motivo. Ainda, 85% das entrevistadas afirmaram já terem tido seus corpos tocados sem consentimento.

Saiba como denunciar

O secretário de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos, Átila Alexandre Nunes, fala sobre como as vítimas de assédio, abuso e tentativa de estupro, devem agir mediante esses crimes:

A vítima deve fazer uma denúncia em uma delegacia e abrir um boletim de ocorrência. Se você sofreu algum tipo de violência ou conhece alguém que já passou por isso, DENUNCIE! Ligue para o número 180 (Delegacia da Mulher).

Edição: Isaac Santos

0 comentários