01/01/16 - 16:08

Com time “novo”, Vasco está preparado para disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior

O Vasco da Gama busca nesta Copa São Paulo de Futebol Júnior o segundo título na competição. O time de São Januário está no grupo 27, junto ao Guaicurus, Nacional e São Raimundo e estreia neste domingo (03), diante do Guaicurus, às 11h, no estádio Comendador Souza. O técnico da equipe cruzmaltina, Rodney Gonçalves concedeu entrevista exclusiva para a Super Rádio TUPI, e falou sobre as expectativas para a competição. Neste ano, uma curiosidade, o Gigante da Colina disputará a competição com uma equipe mais jovem, porém, com a mesma vontade de levantar a taça.
“A gente está indo com um time renovado, vocês sabem que cedemos 10 atletas para os profissionais, então estamos indo com uma base sub-17. Nesse tipo de competição, você ir com elenco mais jovem tem uma certa diferença. Mas, com a nossa política de valorizar o que temos de melhor, vamos com um time mais jovem, competitivo e em condições de representar bem as cores e a tradição do Vasco da Gama”, explicou o treinador vascaíno.
Como na Copinha existem clubes que não fazem parte do cotidiano das equipes grandes no cenário do futebol nacional, é comum a dificuldade para levantar informações dos adversários. Mas, como o Vasco terá uma equipe com idade um pouco abaixo das demais, Rodney Gonçalves já tem noção dos desafios que vai enfrentar, mesmo sem ter plena convicção do que será apresentado pelos oponentes.
“A gente está tendo um pouco de dificuldades em relação propriamente ao São Raimundo e o Guaicurus, porque são equipes com pouca divulgação de mídia e participam de poucas competições. Então a gente está buscando informações com alguns amigos sobre alguns destaques, forma de jogo e tudo mais. Mas a gente espera uma equipe mais velha, porque essas equipes aproveitam a Copinha para divulgar os seus atletas e normalmente tem um perfil um tanto quanto diferente dos clubes grandes. E o Nacional, que disputa o campeonato paulista, a gente conseguiu algumas informações. Esperamos ter uma boa apresentação na primeira fase, mesmo com uma equipe mais jovem, esperamos desenvolver jogo a jogo. Nossos atletas tiveram um período de férias mais que merecidas e se apresentara há 15 dias. A expectativa é grande”, destacou.
Além de buscar o título da competição, a Copa São Paulo revela muitos jogadores para o futebol brasileiro e mundial. A grande maioria dos jogadores brasileiros que hoje figuram entre os principais clubes nacionais e internacionais, figuraram na Copinha. O Vasco tem grandes valores na equipe que disputará a competição em 2016 e alguns deles foram citados pelo treinador cruzmaltino.
“Três são bem conhecidos no Vasco. Lucas Barbosa está desde o sub-15, era um volante com boa técnica, rápido e composição defensiva muito grande. Acabamos fazendo uma boa composição e ele passou a ser zagueiro, o que ele não teve dificuldade para assimilar e tem se destacado. O Bruno Consendey que dispensa comentários, é um atleta de boa técnica e esse ano teve uma fratura na mão, as pessoas perguntavam por ele e esse era o motivo dele estar afastado. Mas terminou o ano em um bom nível de produtividade e é uma aposta nossa. O Hugo foi artilheiro do campeonato sub-17 e campeão, então é goleador. O Paulo Victor que foi recém-incorporado. Houve uma briga com o Fluminense onde ele foi e voltou, mas voltou porque quis. Agora, tem um que é desconhecido para a torcida, que é o Juça. Volante canhoto, alto e de bom porte física, além de uma técnica muito boa que permite jogar também como meia. Entendo que a gente tenha um bom grupo, jovem e a única dúvida é saber como eles vão reagir pela pressão da competição, apesar deles já estarem acostumados a disputar competições pelo Vasco.”, garantiu.
Após a estreia, o Vasco voltará a campo no dia 5 de janeiro, para enfrentar o São Raimundo, às 16h, também no estádio Comendador Souza, e posteriormente no dia 7, às 16h, para enfrentar o Nacional-SP. Vale destacar que se classificam para a próxima fase os dois melhores de cada grupo.
Confira outros trechos da entrevista
Sobre preparação de jogadores para defender os profissionais
“Todos os atletas do juniores, os 30 que temos no elenco, entendo que serão preparados para a qualquer momento estarem integrados aos profissionais. Se vão ficar lá? Há de se convir que existe uma série de fatores que podem interferir. Por exemplo, o Paulo Victor, até agosto de 2016, será sub-16. Então é necessário ter uma série de cuidados. As vezes não atingimos os objetivos e não é por falta de trabalho. É importante pensar em não queimar etapas. Ainda prefiro um discurso mais expansivo e dizer que todos os meus atletas e a comissão técnica de juniores estão aptos para trabalhar nos profissionais.”
Renato Kayser e Matheus Pet
“O Kayser em si foi um atleta que no meu retorno para o Vasco, não me surpreendeu muito pelas informações que a gente já tinha sobre o que ele poderia apresentar. Surpreendeu pela vontade e a entrega que esses meninos tem. Quando o Jorginho chegou aqui (no Vasco), meu primeiro contado com ele foi uma conversa e disse que precisava de um atacante, rápido e habilidoso. Pedi para ele dar uma olhada no Kayser e o menino correspondeu com boas participações. Sobre o Matheus, quando chegamos aqui ele tinha certa dificuldade, mas ele tem um potencial intelectual diferenciado que as vezes não é colocado dentro de campo. Ele entendeu que tinha que mudar um pouco o estilo dele e ele entendeu mediante a muita orientação, tendo uma ascensão.” 
Sobre valorização das pratas da casa
“O Vasco tem essa filosofia de priorizar a qualidade e de preferência voltar a formar atletas. Há quem diga que na Série B é mais fácil e eu discordo disso. Hoje um atleta de qualidade está escasso, ou está super valorizado. Atualmente o Vasco se vê na situação de apostar no que se tem de melhor e a política é apostar na prata da casa, que tenha identificação com o clube. A nossa política é essa. Claro que há o Danilo e o Luan, mas temos atletas hoje não só para as olimpíadas mas em situação destacada  Souza, que foi para o Fenerbahçe. Não podemos deixar de destacar a possibilidade da transferência milionária do Alex Teixera. Então temos que valorizar a prata da casa.”
0 comentários