12/09/18 - 21:36

Rio de Janeiro

Erik descarta polêmica por pênalti, mas se candidata a cobrador no Botafogo

Destaque dos últimos jogos, o atacante agradece o reconhecimento da torcida

Por: Jéssica Duarte

Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

No último Clássico Vovô, após pênalti marcado a favor do Botafogo, o atacante Erik correu pedindo a bola, mas Rodrigo Lindoso foi quem cobrou, parou no goleiro Rodolfo, e o Alvinegro perdeu para o Fluminense por 1 a 0. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o jogador descartou qualquer polêmica e manifestou a vontade de ser um cobrador no clube.

– O professor deixa tudo acertado na preleção, quem é o primeiro e o segundo cobrador. Mas como estava muito confiante, e na jogada do pênalti eu que recebi o passe do Igor Rabello e joguei para a área, eu pedi. Mas entendi bem e fiquei focado no rebote. Tentei caprichar, mas a bola subiu demais. Treino sim. Se não me engano, tenho 11 gols de pênaltis na carreira. A maioria das decisões é decidida nos pênaltis, treino para estar preparado.

Erik foi o último reforço do Botafogo em 2018. Ele tem apenas quatro jogos pelo clube, mas já vem sendo um destaque no time principal de Zé Ricardo. O jogador é bastante elogiado pela torcida alvinegra. O atleta comentou sobre a sua relação com os torcedores.

– Normalmente momentos difíceis, pelos lugares em que passei, são de muitas críticas, cobranças. Sempre soube lidar com isso e entender, nem sempre o atleta vai estar na melhor forma, as coisas vão estar acontecendo… Aqui fui acolhido de uma forma muito especial e fiquei muito feliz. Esses dias estava no restaurante e dois torcedores vieram conversar comigo, me deram os parabéns. Converso bastante com minha esposa, temos gratidão. Na rua me dão apoio, esse carinho vou sempre guardar comigo. Espero retribui-los. Que isso sirva de recado para os companheiros nunca deixarem a raça, a vontade nos dias em que estiver difícil na técnica. Estamos vestindo a camisa de um grande clube.

Além disso, Erik comentou sobre a próxima partida do Botafogo, às 11h, domingo (16), no Estádio Nilton Santos, contra o América Mineiro. Ele afirmou que gosta de jogar neste horário e comentou sobre a situação do Alvinegro na tabela do Campeonato Brasileiro.

– Desde quando cheguei, sempre procurei deixar meu máximo lá dentro. Toda partida joguei os 90 minutos e saí extremamente desgastado fisicamente e mentalmente. Cada semana que se inicia tem que encarar o desafio de frente. Sempre motivado, apoiando os companheiros. Nunca é bom estar se aproximando da zona de baixo. Mas estou super motivado, focado para domingo, e em um bom horário. Particularmente eu gosto. Vejo muitos atletas reclamando (jogo às 11h), mas já joguei no Serra Dourada assim com quase 40 graus e adorei aquele clima.

0 comentários