01/02/18 - 09:27

Rio de Janeiro

Valor que sobrou da venda de Bruno Silva pode ser penhorado por ação de ex-preparador físico do Botafogo

Cruzeiro ainda não depositou o valor restante de R$ 1 milhão

Foto: Vitor Silva / SSPress / Botafogo

O Botafogo corre contra o tempo para fechar o seu elenco para 2018. O Alvinegro ainda sonha com a contratação de Aguirre, que já demonstrou carinho pelo clube. O problema é que o dinheiro que iria ser utilizado para ter chances de contar com o jogador, pode ser penhorado pela Justiça. O clube ainda não foi notificado, mas o valor de R$ 1 milhão que ainda resta receber da venda de Bruno Silva não poderá ser aproveitado por enquanto.

A ação é de responsabilidade do ex-preparador físico, Moracy Sant’anna, que cobra R$ 890 mil de encargos trabalhistas não recolhidos na gestão do Assumpção, em 2014. Como a ação é recente, ela não entrou no Ato Trabalhista que o Alvinegro vem pagando rigorosamente. É válido lembrar que esse valor ainda não foi pago pelo Cruzeiro. A notícia foi dada em primeira mão pela Super Rádio Tupi.

O Cruzeiro havia cedido parte dos direitos econômicos do atacante Rony, que estava em negociação com o Botafogo, como pagamento desse valor, mas as conversas estão complicadas. O clube japonês que o brasileiro estava emprestado, Albirex Niigata, notificou a Raposa cobrando a devolução do jogador ou multa de U$ 10 milhões (Cerca de R$ 32,1 milhões). Agora, o que resta ao clube carioca é aguardar e resolver as questões pendentes.

0 comentários