10/08/18 - 15:16

Acusados da morte de mulher durante aborto em 2014 são condenados pela Justiça

Jandyra tinha 27 anos e deixou duas filhas, uma de 9 e outra de 12 anos

Jurados do 4º Tribunal do Júri do Rio condenaram na madrugada desta sexta-feira (10) os três envolvidos na morte de Jandyra Magdalena dos Santos Cruz, após um aborto, em uma clínica clandestina em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. A mulher teve seu corpo esquartejado e carbonizado após se submeter ao procedimento que iria interromper sua gravidez.

Jandira foi morta em 2014. Foto: Reprodução

O julgamento durou cerca de 12 horas. Além do método ilegal, a quadrilha carbonizou o corpo da vítima, que foi encontrado semanas depois no município de Mangaratiba, na Costa Verde do Rio. De acordo com as investigações, a chefe do grupo era Rosemere Aparecida Ferreira. Além de gerenciar o grupo, ela era responsável por fazer contato telefônico com as clientes e por repartir o dinheiro pela equipe. A criminosa foi condenada a 35 anos de prisão.

 O responsável de realizar os abortos era o falso médico Carlos Augusto Graça de Oliveira. Ele foi condenado a 26 anos e seis meses de reclusão pelos crimes de homicídio, aborto (de Jandyra e mais duas grávidas) e por formação de quadrilha. Vanusa Vais Balcine, também comandava a quadrilha. Ela foi condenada a 15 anos e seis meses de reclusão por aborto seguido de morte, três abortos, destruição de cadáver e formação de quadrilha.

Jandyra tinha 27 anos e deixou duas filhas, uma de 9 e outra de 12 anos.

0 comentários