14/12/17 - 16:40

Policiais aguardam ordem para deixar UPPs

População se diz desacreditada perante a situação, alguns moradores relatam já esperarem pelo fim do projeto desde o início

Durante a votação do plano orçamentário para 2018 realizada na última terça-feira, a Alerj cortou da Polícia Militar R$500 milhões, impossibilitando permanência dos agentes nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). A verba destinada às UPPs que eram de R$5,4 milhões em 2017, passa para R$10 mil no ano que vem.

Policiais relatam que já esperavam pela decisão que põe fim ao projeto e que agora estão apenas esperando ordens para deixar as comunidades.

O nome UPP, continuará sendo usado, mas a estimativa é de que se perca cerca de 90% doo efetivo dentro das comunidades. Os policiais serão remanejados para o quadro operacional fora das favelas que atualmente é deficiente, dando uma sensação de segurança fora delas.

Upp Morro do Alemão. Foto: Divulgação.

Após passar por uma reestruturação, a Coordenadoria de Ordem Pacificadora passará a ser “órgão de supervisão”, deixando de ter o setor de inteligência das UPPs, que atua nas áreas de conflito nas comunidades. Militares relatam a precariedade de condições de trabalho, como armas que não conseguem competir com arsenal dos bandidos.

A população se diz desacreditada perante a situação, alguns moradores relatam já esperarem pelo fim do projeto desde o início, dado o uso de contêineres e materiais removíveis, dando inícios de que não seria um projeto a longo prazo.

O secretário de segurança, Roberta Sá, lamentou o corte e diz que aposta em parcerias com a polícia militar em 2018, disse também que a crianção do Fundo de Segurança Pública pode amenizar a situação.

0 comentários