13/07/18 - 16:20

Agentes da Seop são investigados por receber propina de donos de barraca na Zona Sul

Órgão entrou com pedido de prisão preventiva dos acusados

O Ministério Publico do Rio de Janeiro (MP-RJ) instaurou um inquérito para apurar a denúncia de que funcionários da Secretaria de Ordem Publica (Seop) estariam recebendo propina de donos de barracas de praia na Zona Sul do Rio. Cinco agentes foram  acusados de participar da organização criminosa. De acordo com a denúncia, os acusados realizavam fiscalizações em nome da Seop e exigia dos “barraqueiros” o pagamento de dinheiro e/ou entrega de produtos que eram comercializados.

Funcionários que chefiavam o esquema ameaçavam barraqueiros. Foto: Reprodução

 

Foram indiciados, Eduardo Cezimbra Laviola, Coordenador de Controle Urbano da Secretaria Municipal de Fazenda e Ivyson Barcellos de Castro, chefe de agentes de inspeção de controle urbano. Além de Remuth Oliveira Mello, Marcos Rodrigues de Lima e Nicácio Ramos Tatagiba. Todos agentes de inspeção de controle urbano.

O esquema funcionava mediante o pagamento de comerciantes que estavam irregulares. Ele pagavam a taxa para que pudessem continuar a trabalhar sem serem incomodados. Caso não ocorresse o repasse de valores, eles eram impedidos de continuar vendendo seus produtos nas praias da região. Além disso, suas mercadorias eram apreendidas.

O MPRJ caracterizou a ação como uma maneira de fomentar o descontrole e a desordem urbana. A organização era composta por dois núcleos devidamente estruturados e hierarquizados. Uma parte era referente a estrutura intelectual, a outra, o núcleo responsável pela execução e arrecadação. Durante as investigações, Remuth Oliveira Mello, também passou a efetuar ameaças a um dos comerciantes. O órgão entrou com pedido de prisão preventiva dos acusados.

0 comentários