18/04/18 - 14:12

Criminosos roubam celulares dentro de terminal de cargas do Galeão

Confira o depoimento do diretor de segurança do Sindicato de Empresas de Transporte Rodoviário e Logística do Rio de Janeiro

Homens armados invadiram a área de terminal de cargas do Aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador e roubaram mais de mil smartphones Galaxy S9. O modelo foi recém-lançado no Brasil. A carga é avaliada em um milhão de dólares. A denúncia foi feita nesta quarta-feira (18), pelo diretor de segurança do Sindicato de Empresas de Transporte Rodoviário e Logística do Rio de Janeiro (Sindicarga), o coronel Venâncio Moura.

Em entrevista à Super Rádio Tupi, o coronel afirmou que o Rio de Janeiro hoje, com relação à roubo de carga, é “uma vergonha na nacional”. Venâncio contou ainda que em três meses, o estado chegou a marca de 2.636 roubos. Segundo ele, os empresários não suportam mais arcar com as entregas. Além disso, por conta da burocracia das empresas e a falta de solução dos crimes, é frequente a decisão em não registrar as ocorrências.

A ação dos assaltantes realizada no Aeroporto do Galeão teve início por volta das 21:30 e foi registrada pelo circuito interno de seguranças. Venâncio contou que três homens chegaram em um caminhão, entraram tranquilamente no terminal de cargas, colocaram todos os funcionários em uma sala, selecionaram a carga de celulares e deixaram o local.  Os assaltantes estariam usando uniformes parecidos com as roupas dos funcionários. Confira o depoimento do militar:

Ele contou ainda que motoristas de caminhão vem desistido de realizar o trabalho por conta da violência. Segundo ele, encontrar profissionais para realizar o trabalho tem sido um outro problema para os empresários.

Por conta dos rastreadores nos celulares, foi possível constatar que o material foi levado para a Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, Zona Norte da cidade. De acordo com a Polícia Militar, a ação na comunidade não foi realizada por necessitar de um planejamento prévio, que considere a segurança dos moradores e dos policiais.

0 comentários