12/04/18 - 09:33

Rio de Janeiro

Após vitória do Fluminense, Abel Braga desabafa: “Se for para vaiar, não vem. Esse time não merece isso”

Antes do 3 a 0 sobre o Nacional Potosí, Tricolor tem atuação criticada pela torcida

Por: Jéssica Duarte

Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.

O Fluminense venceu o Nacional de Potosí no Maracanã por 3 a 0 na sua estreia na Copa Sul-Americana. Mas antes disso, a torcida Tricolor demonstrou insatisfação com o time. Após a partida, o técnico Abel Braga concedeu entrevista coletiva e afirmou estar chateado com o público baixo e as vaias injustas, na opinião do treinador.

– Eles trocaram seis jogadores em relação ao último jogo. Colocaram um zagueiro argentino, o outro é uruguaio. Dificultaram ao máximo. A gente poderia ter vencido no primeiro tempo. Poxa, levamos vaias no intervalo. Se for para vaiar, não vem. Só vieram 6 mil torcedores. Estou irritado. Esse time não merece isso. Tá louco, cara, o Fluminense não tem paz, chega disso.

Ao comemorar o gol de Gum, Abel Braga pisou em falso e chegou mancando na sala de coletivas do Maracanã. Segundo o treinador, essa lesão pode causar sérios problemas no comando do time.

– Isso vai me prejudicar. Eu não consigo ver meu time sentado. Pensei que havia tomado um tiro, olhei e não vi sangue. Pensei que era uma pedrada. O médico me falou que era tendão, mas coloquei o pé no chão. Vamos ver como vou me recuperar.

O treinador comentou sobre a vantagem conquistada no jogo de ida da Sul-Americana, mas afirmou que nada está ganho ainda. O Fluminense decide a vaga na segunda fase da competição no dia 10 de maio, na altitude de 4 mil metros de Potosí.

– O futebol deu muito exemplo nas últimas semanas. A gente contra o Vasco, faltou malandragem e experiência. Depois, Vasco ao Botafogo. E Barcelona e Real Madrid na Liga dos Campeões. Vou pilhar a minha equipe lá. Contra a LDU, ano passado, em Quito, com 2,8 mil metros, passamos com gol do Pedro no fim. Agora serão 4 mil. Não está resolvido, não, sinceramente. Prefiro que a gente desligue um pouco. Começo de Brasileiro muito complicado. Corinthians, Cruzeiro e São Paulo. O bicho vai pegar. Mas ninguém vai ganhar mole desse time, não. Defendendo bem. Jogando dentro do campo adversário. Defendeu muito bem. Característica que tem o Corinthians. Jogando em casa, vai ter de atacar um pouco mais do que ataca.

Algo que irritou o técnico Abel foi a cera dos bolivianos. O treinador afirmou que cada um tem sua estratégia, mas esse tipo de jogo tira a calma.

– Eu comentei com o quarto árbitro e ao bandeira. Após o intervalo, antes de começar no segundo tempo, o Sornoza avisou. Eles fizeram isso pois não levaram amarelo no primeiro tempo. Paciência. Cada um tem a sua estratégia. Esse tipo de jogo, realmente, tira a calma. Fazer as coisas com pressa às vezes atrapalha.

Abel Braga falou sobre a entrada de Pablo Dyego, que mudou a cara do time, e as dificuldades que o Campeonato Brasileiro tem.

– Está chegando nesse momento por mérito dele. Trabalha muito, sabe das suas limitações. Ele se sente bem pelo apoio dos experientes. O ambiente que a gente tem é fantástico. Essa equipe, competindo muito, me deixa feliz com o que tem apresentado. No momento em que ele deu o chapéu, se joga o corpo, consegue o voleio. Mas deu o chapéu e mostrou uma qualidade. Que talvez nem a gente sabia que ele tinha. O campeonato nacional, em outros países, tem dois times favoritos. Em Portugal, três. Na França, um. E aqui se começa com 12 com chances de ser campeão. Então, se torna complicado.

O Fluminense entra em campo no próximo domingo (15) contra o Corinthians, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena Corinthians, às 16h.  

0 comentários