26/11/18 - 19:27

Rio de Janeiro

Definidos os 20 pilotos da temporada de 2019 da F1

Três primeiros da Fórmula 2 são promovidos; brasileiros serão pilotos de testes

Por: Marcos Coelho

FOTO: DIVULGAÇÃO

Estão definidos os 20 pilotos que vão disputar o mundial de Fórmula 1 na temporada de 2019. O tailandês Alexander Albon foi o último oficializado, na última vaga que estava em aberto, na italiana Toro Rosso. No total, são 12 mudanças envolvendo trocas, saídas e chegadas em relação ao ano de 2018 nas 10 equipes, que serão as mesmas.

Depois de um 2018 sem aparecer no grid, o Brasil volta a ter representantes no mundo da Fórmula 1, mas ainda entre os pilotos reservas e de desenvolvimento. Pietro Fittipaldi assume a condição na norte-americana Haas, enquanto Sérgio Sette Câmara terá a mesma missão na tradicional McLaren. Confira a dupla de cada equipe e as principais mudanças de cenário:

Mercedes (ALE)
Lewis Hamilton (ING) / Valterri Bottas (FIN)

A atual campeã manteve a dupla dos últimos dois anos. No entanto, o finlandês está em seu último ano de contrato e o francês Esteban Ocon, piloto da Force India nos últimos dois anos, ficou sem equipe, será reserva e, por ser da escola de talentos do time alemão, é cotado para ser promovido aos titulares em 2020.

Ferrari (ITA)
Sebastian Vettel (ALE)/ Charles Leclerc (MON)

O monegasco é uma das grandes promessas da história recente do automobilismo, sendo piloto da academia de jovens pilotos do time italiano e foi campeão da Fórmula 2 em 2017. Teve a primeira temporada na F1 em 2018 conseguindo boas atuações com a Sauber e vai substituir Kimi Raikkonen, que não teve o contrato renovado.

Red Bull (ATR)
Max Verstappen (HOL) / Pierre Gasly (FRA)

Com a saída de Ricciardo para a Renault, o francês foi promovido da Toro Rosso, depois de duas temporadas. Já Verstappen, tenta manter o nível do final de temporada que alcançou em 2018, quando por muito pouco não terminou o ano no terceiro lugar entre os pilotos

Renault (FRA)
Nico Hülkenberg (ALE) / Daniel Ricciardo (AUS)

Hülkenberg está mantido e busca seu primeiro pódio após 148 GPs disputados. Com a chegada de Ricciardo, que vai continuar correndo com os motores franceses – anteriormente também na Red Bull – Carlos Sainz desembarca na McLaren. O australiano tenta a reabilitação depois de um 2018 repleto de abandonos.

Haas (EUA)
Kevin Magnussen (DIN) / Romain Grosjean (FRA)

O time norte-americano obteve sua melhor temporada em 2018. A ajuda da Ferrari foi significativa e encheu a equipe de esperança para o próximo ano. A aposta está na manutenção dos pilotos e Pietro Fittipaldi aparece como reserva e desenvolvedor dos carros.

McLaren (ING)
Carlos Sainz (ESP) / Lando Norris (ING)

Sainz chega ao tradicional time inglês e segue correndo com motor Renault e com o peso de ser um espanhol, como o agora aposentado Fernando Alonso. Stoffel Vandoorne não será aproveitado e Lando Norris, vice-campeão da F2 fará parte do time titular. Sérgio Sette Câmara será piloto reserva e de desenvolvimento do time, e simultaneamente segue na Fórmula 2.

Force India (IND)
Sergio Perez (MEX)/ Lance Stroll (CAN)

O time indiano foi comprado por Lawrence, que colocou seu filho em um dos carros, na vaga de Ocon. Sergio Perez está mantido. O novo nome que a equipe vai carregar a partir de 2018 ainda não foi oficializado, mas existe a chance da manutenção do Race Point Force India, adotado após a venda.

Sauber (SUI)
Kimi Raikkonen (FIN) / Antonio Giovinazzi (ITA)

Raikkonen volta ao time que estreou na categoria, em 2002, agora para ocupar a vaga de seu sucessor na Ferrari. Marcus Ericsson deixa o time titular e vai desenvolver os carros, dando espaço ao italiano Antonio Giovinazzi, também do time de jovens pilotos da Ferrari.

Toro Rosso (ITA)
Daniil Kvyat (RUS) / Alexandre Albon (TAI)

Kvyat está de volta depois de um ano sabático desenvolvendo carros para a Ferrari. Será o recomeço do russo. Como companheiro, o tailandês Alexandre Albon, terceiro colocado na Fórmula 2 em 2018 e que terá a primeira chance na categoria principal do automobilismo mundial.

Williams (ING)
Robert Kubika (POL) / George Russel (ING)

Vivendo o seu pior momento, a William não terá os aportes financeiros de Strol e Sirotktin – o russo deixa a categoria. Roberto Kubica está de volta e terá um volante repleto de adaptações devido às limitações na mão direita. Campeão da F2, George Russel completa o time, que deve lutar para se manter no grid do início ao fim de 2019.

0 comentários