24/05/16 - 13:21

Destaque do Artsul na Série B do Carioca, Thiago Viana é o prata de casa que vale ouro da Super Rádio Tupi

Destaque na campanha do Artsul na primeira fase da Série B do Campeonato Carioca, o zagueiro Thiago Viana vem chamando a atenção pela boa saída de bola e bons passes longos. Cria do futsal do Marã Tênis Clube, de Marechal Hermes, o jogador iniciou trajetória no futebol de campo nas divisões de base do Fluminense, em Xerém. Antes de chegar ao Artsul, passou por Bangu e Audax. Thiago Viana, recém promovido aos profissionais do “Tricolor da Dutra”, é o “prata da casa que vale ouro” desta semana.
Início no futebol
"Meu início foi no futsal, no clube Marã, em Marechal Hermes, onde morava. Depois fui para o futsal do Botafogo, e através de um olheiro, fui convidado para o Fluminense, em Xerém. No início da carreira, as dificuldades eram muitas. Era jogar e estudar ao mesmo tempo, acordar cedo, treinar muito longe, pegava trens e ônibus muito cheios, mas nunca desisti do meu sonho. Meu maior incentivador é o meu pai, que sempre esteve ao meu lado em todos os momentos, fossem eles bons ou ruins".
Como foi sua passagem pelo Fluminense?
"No Fluminense, joguei durante seis anos. Iniciei como lateral-esquerdo, depois passei para zagueiro. Foi uma grande escola. Resolvi sair do clube porque quem chegava com empresário sempre passava na minha frente".
Quem é o seu ídolo e o que você mais gosta nele?
"Meu maior ídolo no futebol é o zagueiro Thiago Silva, que atua no Paris Saint-Germain. É um jogador que tem muita qualidade com a bola nos pés, além de ter muita garra".
No futuro, você consegue se imaginar atuando em algum grande clube do Rio de Janeiro ou projeta sua vida em outro grande centro?
"No futuro me imagino atuando em um grande clube dentro ou fora do país. Depende da oportunidade que surgir".
Hoje é cada vez mais comum ver jogadores jovens como você deixando precocemente o futebol brasileiro em busca da chamada independência financeira. É ainda muito cedo para pensar nisso?
"Meu objetivo é jogar em um grande clube aqui no Brasil. Mas como já falei, depende das oportunidades. Tem que analisar".
Com atuações seguras, você foi um dos destaques da primeira fase do Carioca da Série B pelo Artsul. O que fazer para ser melhor observado no futuro?
"Vou continuar jogando e dando o meu melhor. Sempre com garra e determinação, me esforçando e me dedicando ao máximo". 
O futebol moderno não permite que um jogador desempenhe apenas uma função em campo. Hoje é preciso ser multifunção e estudar muito o adversário. Você já consegue jogar em mais de uma posição?
"Já. Jogo como lateral-esquerdo, volante, depende do que o professor precisar".
0 comentários