01/06/16 - 10:07

Jorginho lamenta pouca efetividade nas conclusões, mas vê empate contra Oeste como injusto

O empate do Vasco contra o Oeste na noite de terça-feira na Arena Barueri não agradou tanto o técnico Jorginho. Na concepção do comandante, o 1 a 1 não foi justo porque seu time teve maior volume de jogo e, consequentemente, mais oportunidades para vencer. No entanto, ele lamentou a falta de efetividade nas conclusões.
"Fizemos um gol exatamente nessa situação (de pressionar). Não basta ter posse de bola, é preciso ser efetivo. Reconheço o trabalho do Fernando Diniz, mas minha equipe podia ter vencido e vencido bem. Essa questão de posse de bola às vezes cansa o outro time. Nós tivemos oportunidades. Fizemos algumas mudanças, coloquei o William, que tem uma pegada forte, coloquei o Caio porque precisava de mobilidade, e isso é bom. São jogadores jovens que vamos precisar. Temos jogadores de 30 anos que estão muito bem, mas em alguns momentos temos que rejuvenescer a equipe. Não me preocupei com a posse de bola. Treinamos para aproveitar essa saída de bola e fomos felizes com o gol do Nenê", disse.
O empate tirou o 100% de aproveitamento do Cruz-Maltino na Série B. Apesar disso, a equipe aumentou sua vantagem para o segundo colocado Atlético Goianiense, que foi derrotado pelo Luverdense por 3 a 2. A quebra da sequência de triunfos na segundona não desmotivou o comandante cruzmaltino. 
"Não vamos ficar nos 100%, como aconteceu hoje. Não estamos jogando contra bêbado. Estamos jogando contra equipes qualificadas, como o Oeste, que vai tirar ponto de muita gente. Conseguimos neutralizar, sim, mas eles têm capacidade. São jogadores muito bem treinados e que não fazem isso casualmente. Treinamos para surpreendê-los e em alguns momentos isso foi visível, chegamos na frente do gol", afirmou Jorginho, que também comentou sobre os sete meses de invencibilidade.
"É um trabalho que estamos fazendo e é uma grande alegria. Lamentavelmente, tivemos um percalço contra o Fluminense, quando tivemos um primeiro tempo ruim e um segundo bom. Feliz por essa marca. Já batemos o recorde de jogos oficiais e vamos em busca dos 35 para que não reste dúvidas. Vai ser muito difícil sábado em casa, um time que ainda não se encontrou, mas vai brigar, e depois jogos dificílimos fora de casa, contra Joinville e Goiás. Credito a invencibilidade aos nossos atletas. Chegamos com uma nova maneira de jogar. O Vasco era um time que não saia jogando, saía com ligação direta. Hoje, é uma satisfação ver o Thalles recuperado, o Riascos sair querendo ficar, jogadores desacreditados novamente no mercado… É motivo de alegria. Precisamos permanecer humildes, não ganhamos nada"
Como não poderia ser diferente, Jorginho dedicou uma parte de sua coletiva pós-jogo para elogiar Fernando Diniz, talvez o técnico mais midiático do futebol brasileiro de 2016. Depois de chamar a atenção pelo estilo ofensivo que levou o Audax à final do Campeonato Paulista derrubando grandes como São Paulo e Corinthians, Diniz mostra em cinco rodadas ter conseguido exportar sua filosofia no Oeste, que joga à sua maneira: muitos passes, manutenção da posse de bola, jogo posicional desde a saída de bola e movimentação incessante.
"É uma equipe muito bem treinada. Ninguém tem uma movimentação dessa sem treinar. Joguei três meses com o Fernando Diniz, no Fluminense, e ele era um cara extremamente ligado na questão tática, observador, líder. Não tenha dúvidas que um sistema como esse tem fragilidade, sim. Essa situação da saída de bola em alguns momentos se torna kamikaze. Ou você mata, ou você morre. Foi o que aconteceu no nosso gol. O bom dessa equipe e do treinador é acreditar no que estão fazendo", falou.
O Vasco volta a campo no próximo sábado, às 16h30, para enfrentar o Goiás em São Januário.
0 comentários