19/10/18 - 14:29

Real Madrid procura o próximo “melhor do mundo” no Brasil

Vinicius e Rodrygo, contratados por mais de 90 milhões de euros, simbolizam a determinação do clube em encontrar o próximo grande talento no país sul-americano

Por Beto Jr

Foto: OSVALDO VILLARROEL (EFE)

Nas noites de sábado (13) e segunda-feira (15) houve um fato sem precedentes na televisão do Real Madrid. O canal oficial interrompeu sua programação para transmitir ao vivo dois jogos de futebol nos quais o Real Madrid não participou. O motivo não era outro senão exibir em conjunto pela primeira vez  Vinicius Júnior, de 18 anos e Rodrygo Goes, 17, dois jovens brasileiros contratados pelo clube por um valor superior a 90 milhões de euros.

Os meninos foram promovidos por Madri como raramente é lembrado. O segundo jogo entre as seleções sub-20 do Brasil e do Chile foi anunciado até mesmo na mídia impressa com uma página inteira de anúncios. Não foi por menos. Os atacantes compõem um dos investimentos mais ousados de Florentino Pérez em seus 15 anos como presidente.

A contratação de Vinicius e Rodrygo (foto) responde a um objetivo prioritário do líder: descobrir o novo talento do futebol mundial. Juntamente com José Ángel Sánchez, seu diretor geral, Pérez acredita que o Brasil é o mercado com a melhor chance de produzir esse tipo de jogador. Os dois principais dirigentes do clube consideram há uma década que a celeiro brasileira é o melhor do mundo e, por isso, Madri tem a obrigação de se concentrar na captura de talentos no país sul-americano. A missão foi confiada a Juni Calafat, chefe do futebol internacional do clube.

Foto: ELVIS GONZALEZ (EFE)

Nascido na Espanha, mas criado em São Paulo, Calafat foi contratado em 2014 como um olheiro na América do Sul. Ele chegou a Madri apoiado por seu conhecimento e sua extensa rede de contatos no mercado brasileiro. Vinicius e Rodrygo são suas grandes apostas, para o bem e para o mal. Seu prestígio e alta posição na organização esportiva de Madri dependem dos dois atacantes cumprirem as previsões depois de várias operações fracassadas, como o meia Lucas Silva ou o lateral Abner.

Os dirigentes do Madrid defendem essa política de transferência como o único caminho possível para competir no curto prazo com o PSG e as grandes potências da Premier em um mercado que não para de inflacionar os preços. Apenas a antecipação garante a possibilidade de conseguir um super craque por um preço acessível e que um caso como Neymar não se repete, que aos 14 anos ele chegou a ter registro com Real Madrid, mas acabou retornando ao Brasil.

Fonte: El País

0 comentários