24/08/18 - 09:04

Rio de Janeiro

Valdir elogia atuação do Vasco e afirma não ter sido comunicado sobre a possível chegada de um novo técnico

Cruz-Maltino conseguiu ponto importante fora de casa

Por: Jéssica Duarte

Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco

O Vasco conseguiu um ponto importante fora de casa na última quinta-feira (23). Apesar da pressão, o Cruz-Maltino resistiu e arrancou um empate com o Atlético Mineiro, no Independência, em Belo Horizonte. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico interino Valdir Bigode comentou sobre a atuação do Vasco pelo Campeonato Brasileiro e explicou a formação do esquema tático com três volantes.

–  Nossa necessidade de entrar com três volantes não era defensiva. Com relação ao resultado, eu acho que foi excelente para nós. Eu sei que o Atlético teve grandes chances de matar o jogo, mas nós também tivemos. Jogo foi bom. Controlamos a bola de um lado para o outro no meio-campo. Acho que conseguimos neutralizar bem algumas jogadas do Atlético, principalmente em virada de bola. Acho que fizemos um grande jogo aqui. A gente tem uma equipe na retaguarda: o PC, o Sandro, o Marquinhos Valadares para me ajudar. Nem sempre precisamos fazer mudança para o segundo tempo. Na conversa conseguimos melhorar e ter um pouco mais de saída de bola.

Nos últimos dias o nome do treinador Alberto Valentim vem rondando os bastidores de São Januário. Valdir Bigode afirmou não ter sido comunicado sobre a possível vinda de um novo técnico, mas garantiu que qualquer um será bem-vindo.

– Ainda não fui comunicado da chegada de novo técnico. Se vier, não tem problema algum. Sou funcionário do clube. Dou um passo à frente se necessário e também dou atrás. Também estou trabalhando. Vínhamos numa sequência de derrotas, conseguimos quebrar. Caso venha um treinador, será recebido de braços abertos. Minha postura é se precisar da minha ajuda, estarei lá. Se não precisar, também estarei lá.

Com a sequência de jogos exaustiva, Valdir garantiu que o ideal é conversar bastante com o elenco. Além disso, ele explicou a saída de Wagner, que vinha fazendo uma boa partida contra o Atlético Mineiro, e comentou sobre a ausência de Thiago Galhardo.

– Se tiver jogo quarta e domingo, é pouco trabalho, conversar bem pontual. Não ficar enchendo a cabeça do jogador. Eu sei como funciona. Estamos tentando, com simplicidade, melhorar. Muitas informações, quando chega da primeira à décima, o cara não lembra mais. Wagner pediu para sair, porque estava fazendo uma função muito forte ali. Tendo que ir à frente e voltar para ajudar na marcação. Ele tomou cartão. Ele mesmo, consciente, achou a necessidade de mudança e pediu para sair. Ontem à noite tive a notícia do Thiago Galhardo, que ele não poderia jogar. Conheço bem o grupo. Tentei com a entrada do Andrey fazer com que ele fizesse o máximo que pudesse, que tentasse suprir tudo aquilo que o Galhardo seria capaz de fazer. E ele fez bem.

O Vasco enfrenta a Chapecoense, no domingo (26), às 19h, pelo Campeonato Brasileiro, em São Januário. 

0 comentários