14/07/16 - 11:58

Após uma longa sessão, Rodrigo Maia é o novo presidente da câmara

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi eleito o novo presidente da câmara na noite dessa quarta-feira (14). Eleito com 285 votos, ainda não definiu o prazo da votação final do processo de cassação do ex-presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O Deputado Rodrigo Maia disse que ajudou a elegê-lo, e ponderando disse que o processo deverá ocorrer “dentro das normas da casa” e quando houver um “quórum adequado”. Houve certa polêmica na câmara, por conta de Waldir Maranhão ter remarcado o horário da eleição quatro vezes. Eleição que foi marcada por ele, sem consultar ninguém, às vésperas do início do “recesso branco”, período em que a Casa fica duas semanas sem fazer votações. Com essa atitude de Maranhão, foram gerados vários protestos entre os parlamentares. O horário foi definido após muitas conversas.
 
Filho de César Maia (ex-prefeito do Rio), o Deputado Rodrigo Maia começou na política por influência do Pai, e teve seu primeiro mandato em 1998, quando foi eleito à Deputado Federal. Rodrigo trabalhou diretamente nas campanhas e também na administração do governo do seu pai na prefeitura do Rio.  Com 46 anos, no seu 5º mandato consecutivo, o novo presidente da câmara ontem no seu discurso disse: “Quero agradecer ao PSDB […], ao PSB, ao PPS e ao DEM, meu partido. […] Aos partidos que me ajudaram no segundo turno. […] Vamos, a partir de amanhã, governar com simplicidade. […] Nós temos que pacificar esse plenário, temos que dialogar com a maioria, com a minoria". O parlamentar irá governar no lugar de Eduardo Cunha no “Mandato-Tampão”, que renunciou para tentar fugir da cassação, até fevereiro de 2017.

Após a votação com a vitória de Maia, Temer (PMDB) entrou em uma das suas redes sociais e o parabenizou dizendo: “Parabéns a Rodrigo Maia e sucesso na gestão à frente da Câmara dos Deputados”. Temer também entrou em contato com o candidato derrotado, Rogério Rosso, parabenizando pelo desempenho na disputa e a elegância do parlamentar no processo eleitoral.

Supervisão Rafael Cassimiro

0 comentários