16/11/18 - 15:25

Bolsonaro diz que posição tomada no caso dos médicos cubanos é humanitária

Rompimento do acordo foi anunciado quando Cuba informou que não atenderia às exigências do governo eleito

Foto: Reprodução

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, reiterou, na manhã desta sexta-feira (16), que a decisão de impor novas exigências aos profissionais cubanos vinculados ao Programa Mais Médicos tem razões humanitárias para protegê-los do que considera “trabalho escravo” e preservar os serviços prestados à população brasileira. Ele garante que o programa não vai ser suspenso.

Entre as medidas, estão o Revalida, prova que verifica conhecimentos específicos na área médica, receber integralmente o salário e poder trazer a família para o Brasil. Para Bolsonaro, é fundamental que os profissionais cubanos passem pelo Revalida. Ele destacou que concederá asilo político aos profissionais que quiserem, quando ele estiver na Presidência da República.

O rompimento do acordo com o governo cubano foi anunciado há dois dias quando o Ministério de Saúde Pública de Cuba informou que não atenderia às exigências do governo eleito.

0 comentários