09/08/16 - 16:09

Comitê Rio 2016 recorre da decisão que permite protestos nas Olimpíadas

O Comitê Rio 2016 anunciou na manhã de hoje (9), que vai recorrer da decisão judicial que permite protestos nas arenas olímpicas. A liminar do juiz federal João Augusto Carneiro, havia proibido a repressão das manifestações políticas em áreas das competições dos Jogos. Na sentença, ele fixou multa de "R$ 10 mil por cada ato que viole a presente decisão".
O diretor-executivo de comunicações do Comitê Rio 2016, Mário Andrada, disse que respeitará a liminar enquanto estiver valendo. No entanto, não especificou os argumentos que usará, mas que vai apresentar tanto a Carta Olímpica quanto a Lei da Olimpíada como justificativa para que mantenham a proibição de protestos nas arenas.  “As instalações esportivas não são plataforma adequada para manifestações políticas, religiosas ou de intolerância racial. São palcos de esporte”, ressaltou o diretor.
A Carta Olímpica é o conjunto de princípios para a organização dos Jogos e diz que “nenhum tipo de demonstração política, religiosa ou propaganda racial é permitido em quaisquer locais olímpicos”. Já a Lei da Olimpíada (13.284/2016) proíbe “portar ou ostentar cartazes, bandeiras, símbolos ou outros sinais com mensagens ofensivas”, mas ressalva o direito à livre manifestação e liberdade de expressão.
No último sábado (6), um vídeo compartilhado no Facebook mostrava homens da Força Nacional retirando um espectador da prova de tiro com arco do Sambódromo. O homem exibia um cartaz de protesto contra o presidente em exercício Michel Temer. Em outro vídeo, agentes de segurança retiraram torcedores do Mineirão por, supostamente, estarem usando camisetas com as letras que formavam a expressão "Fora Temer".
Supervisão: Rafael Cassimiro 
0 comentários