21/06/16 - 19:00

É Tri! Brasil comemora 46 anos do título na Copa de 70

A atual fase não é das melhores para a nossa seleção, mas há exatos 46 anos, Carlos Alberto Torres erguia a taça Jules Rimet, celebrando o Tri-campeoanto Mundial do Brasil, no México. O título invicto (inédito) confirmou as expectativas sobre uma das melhores seleções de todos os tempos que contava com Pelé, Gerson (canhotinha de ouro), Tostão, Rivelino, Jairzinho e muitos outros craques.
A seleção sofreu um período de instabilidade após o Mundial de 66, com várias trocas de treinadores, mas nas eliminatórias o Brasil já estava recuperado. João Saldanha comandou uma campanha impecável: seis vitórias em seis jogos com 23 gols marcados e apenas dois sofridos. Apesar disso, por questões políticas, Saldanha foi trocado por Zagallo que manteve o alto nível.
Logo na estréia, goleada pra cima da Tchecoslováquia (4×1). Em seguida, 1×0 contra os ingleses (atuais campeões) e 3×2 contra a Romênia. No mata-mata, a seleção deslanchou com 4×2 para cima do Peru, nas quartas; 3×1 contra o Uruguai, na semi, vingando o “Maracanazo” (quando o Brasil perdeu a final em 1950, no Maracanã) e na final, a consagração veio com mais uma goleada: 4×1 sobre a Itália.
Dos lançamentos certeiros da canhota de Gerson até as maestrias de Pelé, a seleção além de eficiente nos resultados, apresentava um futebol bonito, arte. A marchinha “A taça do mundo é nossa” se fez verdade, cantada em coro pelos brasileiros. A Jules Rimet, apesar de “nossa”, foi roubada na sede da CBF e derretida para venda, mas nada que abalasse a festa pela conquista brasileira.
TITULARES: Félix, Piazza, Clodoaldo, Brito, Rivelino, Gérson, Everaldo, Tostão, Pelé, Carlos Alberto Torres e Jairzinho.
RESERVAS: Ado, Baldocchi, Dadá Maravilha, Edu, Fontana, Joel Camargo, Marco Antônio, Paulo César Cajú, Roberto Miranda, Zé Maria e Leão.
COMISSÃO TÉCNICA: 
Mário Jorge Lobo Zagallo (Técnico)
Cláudio Coutinho (Prep. Físico)
Parreira (Prep. Físico)
Rogério (Olheiro)
Admildo Chirol (Prep. Físico)
Mário Américo (Massagista)
Nocaute Jack (Massagista)

Por Kleber Pizão – Supervisão Rafael Cassimiro

0 comentários