18/07/18 - 08:20

Empresa que administrou UTI do Hospital Miguel Couto é condenada por fraudes em contratos

Houve superfaturamento de contratos no valor de aproximadamente R$164 milhões

A Justiça do Rio revogou o contrato de gestão firmado entre a Sociedade Espanhola de Beneficência e o Município do Rio, para que a instituição fosse responsável pela administração do CER-Leblon, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Miguel Couto, no período de 2012 a 2015.

Na decisão, a Sociedade Espanhola também foi condenada a ressarcir os danos causados aos cofres do município, além de ser desqualificada como Organização Social (OS), não podendo mais firmar contratos com a administração pública.

Na ação movida pelo Ministério Público do Rio (MPRJ), entre os atos ilícitos praticados pela instituição foram constatados superfaturamento de contratos com prestadores de serviços ou fornecedores de produto no valor de aproximadamente R$164 milhões.

0 comentários