23/08/16 - 10:50

Forças armadas permanecem no Rio até o fim das eleições

Na tarde desta segunda-feira (22), o Ministro da Defesa, Raul Jungmann anunciou que as forças armadas irão atuar na segurança do Rio até o segundo turno das eleições municipais, em outubro. O mesmo efetivo que foi utilizado nas Olimpíadas, de 23 mil militares, permanecerá nas ruas fazendo a segurança. 
"A prática é essa. Está na lei. Nós vamos ter que efetivamente ficar [no Rio] e em outras 400 cidades, que é a média. Agora, dizer o efetivo, a demanda tem que vir deles [dos municípios] Por exemplo, nós vamos em quais comunidades? Um dos problemas que nós tivemos aqui, no passado, e que me relataram, é que você não conseguia que alguns candidatos fossem a determinadas comunidades que eram fechadas, seja por milícia, seja pelo que for. Mas aí, cabe através de uma discussão entre o Tribunal Regional Eleitoral e as Forças Armadas saber qual é a comunidade que exige um efetivo. Nesse momento, a gente não tem essa previsão ", afirmou Jungmann.
O anúncio foi feito por Raul Jungmann na Sede do Comando Militar do Leste, no Centro, onde fez o balanço da segurança nas Olimpíadas na presença de comandantes das forças armadas. Segundo o Ministro, a solicitação parte da Justiça Eleitoral e é encaminhada para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, e posteriormente à própria Presidência. Sendo assim, cabe ao Ministério da Defesa analisar a viabilidade da operação.
Conforme foi apresentado no balanço, feito por Jungmann durante o período dos Jogos Olímpicos, a Marinha abordou quase 2.800 em embarcações, e 108 dessas embarcações foram notificadas e 33 apreendidas. Na força Aérea, foram interceptadas 20 aeronaves, seis foram interrogadas e quatro precisarão alterar suas respectivas rotas.

Supervisão: Rafael Cassimiro

0 comentários