13/06/16 - 18:21

Jovem que abriu fogo em boate gay já havia sido investigado por ligações terroristas

Omar Matten, de 29 anos, acusado de ser o autor do massacre que matou 50 pessoas na boate Pulse, em Orlando, já havia sido investigado por ligações com grupos terroristas. O jovem foi interrogado duas vezes, mas por falta de provas foi liberado e no dia do ataque não estava sob observação do FBI. Momentos antes de invadir a boate, Matten entrou em contato com o telefone de emergência (911) e declarou lealdade ao Estado Islâmico.
Apesar do histórico, Matten não teve dificuldades para comprar um rifle e uma pistola semiautomática, utilizados no ataque. No estado da Flórida, qualquer cidadão pode comprar uma arma, após passar por um breve levantamento de seus antecedentes criminais. Além dos 50 mortos (incluindo o atirador), outros 53 ficaram feridos no ataque, muitos deles em estado crítico. 
O maior ataque a tiros da história americana também teve motivação homofóbica. Segundo Seddique Mateen, pai do acusado, ele se enfureceu quando um casal homossexual se beijou à vista de sua esposa e filho. No entanto, ainda segundo Seddique, não houve motivação religiosa para a ação. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque e chamou o atirador de “irmão” através de rádio oficial. Apesar dos indícios, as autoridades americanas não confirmam o envolvimento do atirador com o grupo terrorista.

Por Kleber Pizão – Supervisão Rafael Cassimiro

0 comentários