01/02/16 - 15:29

Justiça condena 13 policiais por morte de Amarildo

Treze policiais acusados de participação no crime de tortura e morte do pedreiro Amarildo de Souza, foram condenados pela 34ª vara Criminal do Rio de Janeiro. 
Entre os condenados, está o ex-comandante da UPP da Rocinha, o major Edson Santos, condenado a 13 anos e sete meses. O tenente Luiz Felipe Medeiros, subcomandante da UPP na época, foi condenado a 10 anos e sete meses. 
O soldado Douglas Roberto Vital Machado recebeu como pena 11 anos e seis meses. 
Os soldados Marlon Campos Reis, Jorge Luiz Gonçalves Coelho, Jairo da Conceição Ribas, Anderson César Soares Maia, Wellington Tavares da Silva, Fábio Brasil da Rocha da Graça e Felipe Maia Queiroz Moura receberam 10 anos e quatro meses de pena. 
Foram condenadas também, as policiais Rachel de Souza Peixoto e Thaís Rodrigues Gusmão, com pena de nove anos e quatro meses. O soldado Victor Vinicius Pereira da Silva, morto ano passado, teve a sua pena extinta. 
O crime ocorreu em 2013, na Rocinha, quando o grupo de policiais que trabalhavam na base da UPP, buscavam suspeitos ligados à venda de drogas na comunidade. 
O pedreiro foi detido, torturado e morto, enquanto outros PMs faziam a vigilância da base. Até hoje, o corpo de Amarildo não foi encontrado. (ABr)
0 comentários