12/07/16 - 11:24

No Rio, planos de saúde coletivos sofrem reajustes de até 21%

Começa a valer ainda esse mês o reajuste dos planos de saúde coletivos com cobertura para até 29 vidas, que terá variação de 15,17% (SulAmérica) a 21,12% (Bradesco). E ainda terá a cobrança retroativa referente ao mês de maio. Os beneficiários que serão atingidos são de pequenas e médias empresas, conselhos e associações profissionais. A negociação não será interferida pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), e esse reajuste está levando até a Justiça esses beneficiários.

A correção aplicada pela empresa Amil foi de 19,49% para os planos coletivos, já a Unimed-Rio, reajuste de 19,11%. Para os planos individuais, aumento de 13,57%. A advogada Renata Vihena Silva, do escritório Vihena Silva Advogado se pronunciou afirmando: “Esses contratos têm uma cláusula de sinistralidade que é o desequilíbrio da relação entre os custos e as receitas das operadoras. O consumidor não consegue acompanhar os cálculos e, por isso, a cláusula deve ser declarada nula pela Justiça.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) subiu 8,84%, no acumulado de 12 meses até o mês de Junho. Segundo algumas Entidades ligada às operadores de saúde, a inflação médica é superior em relação a alta do custo de vida, e por isso estão argumentando.

Supervisão Rafael Cassimiro

0 comentários