29/11/18 - 08:19

Operação Boca de Lobo: Governador do Rio é preso em desdobramento da Lava Jato

STJ autorizou o sequestro de R$39,1 milhões de Pezão

Foto: Reprodução.

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), foi preso na manhã desta quinta-feira (29) na Operação Boca de Lobo, desdobramento da operação Lava-Jato. Os agentes da Polícia Federal (PF) cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão no Rio, em Juiz de Fora, Niterói, Piraí e Volta Redonda. O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), autorizou o sequestro de R$39,1 milhões de Pezão.

As investigações apontam que Pezão faz parte de uma organização que cometeu crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que além de Pezão ter sido secretário de Obras e vice-governador de Sérgio Cabral, entre 2007 e 2014, período em que já foram comprovadas práticas criminosas, ele também operou esquema de corrupção próprio, com seus próprios operadores financeiros.

As investigações chegaram a essas informações por meio de delação premiada e documentos apreendido na residência de um dos investigados da Operação Calicute. Foram analisadas provas documentais como dados bancários, telefônicos e fiscais. De acordo com a procuradora-geral da República, o material apreendido aponta que cabia a Pezão dar suporte político aos demais membros da organização e que ele recebeu grande quantia desviada dos cofres públicos, que posteriormente foi lavada.

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão do governador porque, além de existirem provas de o esquema criminoso estruturado por Cabral continua ativo, Pezão poderia dificultar ainda mais a recuperação dos valores adquiridos na prática criminosa. Há também documentos sobre o pagamento, em espécie, de mais de R$25 milhões entre 2007 e 2015. O valor é incompatível com o patrimônio declarado pelo governador à Receita Federal.

Além de Pezão, José Iran Peixoto Júnior, secretário de Obras, Affonso Henriques Monnerat Alves Da Cruz, secretário de Governo, Luiz Carlos Vidal Barroso, servidor da secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Marcelo Santos Amorim, sobrinho do governador, Cláudio Fernandes Vidal e Luiz Alberto Gomes Gonçalves, sócios da J.R.O Pavimentação e Luis Fernando Craveiro De Amorim e César Augusto Craveiro De Amorim, sócios da High Control, também tiveram a prisão decretada.

0 comentários