19/11/18 - 13:01

Traficante Marcelo Piloto é extraditado para o Brasil

Criminoso estava preso no Paraguai desde dezembro de 2017

O traficante carioca Marcelo Pinheiro Veiga, conhecido como Marcelo Piloto já está no Brasil. O criminoso foi extraditado do Paraguai na manhã desta segunda-feira (19).

Marcelo Piloto deu uma entrevista coletiva

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, comentou sobre o caso em sua conta oficial no Twitter: “Decidi expulsar Marcelo Pinheiro, vulgo “Piloto” do Paraguai. O nosso país não é uma terra de impunidade para ninguém”. A transferência do traficante foi realiza por volta das 4h. Vídeo mostra o momento em que o traficante Marcelo Piloto é entregue a forças de segurança do Brasil. Confira:

Piloto será levado para o presídio federal de Catanduvas, no Paraná. A medida foi uma decisão do juiz Rafael Estrela Nóbrega, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, onde o criminoso responde por diversos crimes. Participaram do transporte três patrulhas das Forças Operacionais Policiais Especializadas.

Também nesta segunda-feira (19) advogada do criminoso, a argentina Laura Marcela Casuso, foi executada a tiros, em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil. O carro utilizado pelos atiradores teria sido roubado em uma cidade brasileira. Laura foi a responsável por organizar a coletiva de imprensa para o traficante. Na ocasião, Marcelo Piloto confessou que pagava propina a policia paraguaia para obter proteção.

O narcotraficante foi expulso do país após matar uma jovem dentro de uma cela no quartel da Polícia Nacional. O crime aconteceu neste sábado (17). Piloto estava preso no local desde dezembro.

Relembre o caso

O narcotraficante Marcelo Piloto assassinou, com 16 facadas, a jovem argentina Lidia Meza Burgos, de 18 anos. Ela o visitava pela segunda vez. O assassinato teve como objetivo impedir a própria extradição para o Brasil. Segundo informações do Ministério Público Paraguaio, a vítima trabalhava como garota de programa.

Jovem tinha 18 anos. Foto: Reprodução

Após entrar no presídio de forma irregular, Lidia ficou cerca de 40 minutos com o criminoso. A jovem foi golpeada 16 vezes com uma faca de cozinha. As facasdas atingiram o pescoço, abdômen, tórax e costas. Ela foi socorrida após agentes ouvirem gritos de socorro vindos da cela de Piloto. Contudo, a jovem não resistiu aos ferimentos.

0 comentários