04/10/16 - 14:34

Vila Isabel se esforça para desfilar em 2017

A presidência da escola de samba Unidos de Vila Isabel se reuniu nesta terça-feira (4) com o fornecedor de materiais carnavalescos, que cobra na Justiça uma dívida de R$ 2 milhões da agremiação. A partir da decisão, será definido se a tradicional escola irá desfilar no Carnaval 2017.

Na última sexta-feira (30), Vila Isabel informou por meio de uma nota o cancelamento de todos os projetos relativos ao carnaval. Também foram suspensas a semifinal de samba-enredo e a final do concurso da segunda porta-bandeira da escola.

Os 160 funcionários que trabalham no barracão da escola, na Cidade do Samba, e também na quadra, foram dispensados pela direção da agremiação.

O presidente da Vila Isabel, Levi Junior, comunicou que a escola não têm condições de pagar a dívida e botar o carnaval na avenida. De acordo com Levi, o fornecedor fez um acordo para pagamento de sete parcelas de R$ 185 mil, porém com a arrecadação da escola, além de outros compromissos trabalhistas, é inviável honrar a dívida nos termos do acordo.

Levi Junior afirmou que a dívida com Jaime Bernardino Albuquerque teve início em 2011, ainda na gestão do presidente Luciano Ferreira.  Foi Luciano quem assinou o acordo de parcelamento com o fornecedor, apenas quatro dias antes de renunciar ao cargo.

Levi era o vice-presidente da escola e disse não ter conhecimento do acordo. "Se tivesse, não aceitaria". O enredo da Vila Isabel este ano é "O som da cor", que vai contar a influência da cultura negra na música.
0 comentários