04/04/18 - 17:18

Upas continuam apresentando mal funcionamento após mudança na gestão

Ministério Público Estadual (MPE) fará o intermédio para o depósito do 13º de 2017 em atraso

As Unidades de Pronto Atendimento (UPA) dos bairros de Copacabana, Botafogo, Tijuca, Jacarepaguá e o Hospital da Mãe, de Mesquita passaram para a gestão de quatro outras Organizações Sociais (OS), nesta terça-feira (03). Desde a última segunda-feira (02) a OS Hospital Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ) não administra as unidades. No entanto, mesmo passando para a responsabilidade de novas gestões, a unidade de Copacabana estava desabastecida, a de Botafogo estava com a sala de espera lotada e havia demora no atendimento aos pacientes.

Na UPA Tijuca, as faixas que avisavam sobre a greve dos funcionários, devido a falta de pagamento, foram retiradas. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Ses), as dívidas que constam em cada um dos contratos serão apuradas. Após negociação entre a Secretaria de Fazenda e Secretaria de Saúde, uma prestação de contas será realizada com o intuito de definir como serão conduzidas as rescisões trabalhistas.

De acordo com a Ses, a OS Unir Saúde assumiu a administração da UPA Tijuca; a OS Mahatma Gandhi ficou com a UPA Copacabana; a OS Cruz Vermelha, com a UPA Botafogo; a Lagos Rio, com a UPA Jacarepaguá; e a OS Instituto Gnosis assumiu o Hospital da Mãe. O órgão informou que os valores referentes aos 13º de 2017 serão depositados por intermédio do Ministério Público Estadual (MP-RJ). O abono de 2016 permanece em atraso.

 

 

0 comentários