03/09/18 - 16:25

Palavra Amiga / Esther

                 Boa tarde heleno e família tupi eu tenho 46 anos, sou casada, tenho 02 filhos e trabalho como atendente em um consultório médico. Meu marido tem 49 anos e trabalha como contador. Eu nem pensava mais em me casar quando conheci o “Henrique”, eu já tinha passado dos trinta anos e acumulava muitas decepções de relacionamentos anteriores e eu tinha decido que não queria mais me envolver com ninguém mas, o “Henrique” era uma homem diferente, ele era divorciado, não tinha filhos e sentia a necessidade de ter alguém com ele e quando nos conhecemos ele me fez acreditar que ninguém nunca deveria ficar só, que o amor entre duas pessoas é fundamental para termos uma vida feliz e eu decidi arriscar, nos casamos e depois vieram os nossos dois filhos que hoje são adolescentes.

                 A gente sempre foi muito franco e sincero um com o outro, esse laço que formamos ao longo desses 14 anos, eu acredito que isso tenha mantido o nosso casamento feliz junto com outros sentimentos.  isso era o que eu achava, pensava e confiava. Mas, agora tudo parece que mudou e o “Henrique” que eu conhecia profundamente, não é mais a mesma pessoa, hoje eu vivo rodeada de dúvidas em relação se devo ou não continuar nesse casamento e esse é o motivo pelo qual eu pedi uma palavra amiga a família tupi. Eu tenho uma irmã de 42 anos, nós sempre fomos muito unidas, muito amigas e todos os problemas que eu tive na vida ela participou e me ajudou muito, eu me sinto hoje desamparada, pois não posso contar com o apoio dela e não sei o que fazer nesse momento.

             A minha irmã estava prestes a se casar quando ela teve um sério problema de saúde, ela fez uma cirurgia e teve que retirar o útero, sendo assim ela não poderia ser mãe.  Naquela época, há mais de vinte anos atrás foi um baque, nós da família tentávamos confortá-la, mas ela entrou em depressão e foi muito difícil resgatar a minha irmã e trazê-la de volta a vida. O noivo dela foi a pessoa que mais ajudou, ele continuava querendo se casar e o fato deles não poderem ter filhos, pelo menos para ele não iria alterar em nada o seu desejo de viver ao lado da minha irmã.Eu até me ofereci para ser uma espécie de barriga de aluguel, mas essa idéia foi rejeitada e com o passar dos anos eu percebi que eles viviam felizes, que o amor deles bastava para viverem em plena harmonia.

             Quando eu apresentei o “Henrique” para a minha família, todos gostaram dele e o meu cunhado se tornou o seu melhor amigo, eles não se desgrudavam e pareciam dois irmãos. A gente viajava juntos, eles batizaram os nossos filhos e a vida estava ótima. Tudo começa a desabar quando eu fui até o escritório que o meu marido trabalha e ele ia entrar em uma reunião e me pediu que levasse para casa um envelope junto com outros documentos, quando eu estava saindo vi que o tempo ia mudar e abri o envelope e coloquei alguns papeís do consultório que eu trabalhava lá dentro. Quando eu cheguei em casa fui separar os documentos e ali tinha uma cópia do imposto de renda do meu cunhado, eu sabia que o meu marido fazia o imposto de renda de muita gente inclusive desse meu cunhado, marido da minha irmã.

             Sinceramente eu não peguei o imposto de renda dele para saber quanto ele ganhava, como as folhas estavam soltas eu simplesmente fui arrumá-las e tirar partes de um documento que pertenciam ao consultório que eu trabalho. Uma página me chamou atenção onde estava o nome dos dependentes dele havia o nome da minha irmã e de outras duas pessoas que no graú de parentesco eram os filhos do meu cunhado, um casal de filhos adolescentes. eu fiquei assustada, pelo fato do meu cunhado não se importar que a minha irmã não pudesse ser mãe e ele ser pai de dois adolescentes estando casado com a minha irmã e algo que me deixou também arrasada foi do meu marido saber de tudo isso e não em contar nada.

         Quando meu marido chegou eu conversei com ele, o “Henrique” me pediu desculpas e disse que tinha prometido ao meu cunhado segredo. Eu não aceitei ele esconder de mim, um fato tão grave que diz respeito à vida da minha irmã que além de tudo é a minha melhor amiga. Nosso casamento está abalado, nós brigamos muito, estamos dormindo em quartos separados e além de eu não saber o que fazer com a minha união eu também não faço a menor ideía se devo ou não contar para a minha irmã o que eu descobri e sem saber o que fazer nesse momento difícil que eu estou vivendo eu preciso de ajuda, preciso muito ouvir uma “Palavra Amiga”.

0 comentários