30/08/18 - 16:25

Palavra Amiga / Iolanda

Eu tenho 53 anos, sou viúva, tenho três filhos e trabalho como costureira num quartinho que fiz no terreno da minha casa. Eu escuto o seu programa desde o dia que você ocupou esse horário e sempre torcia por finais felizes nas palavras amiga que você lia diariamente.Sinceramente, algumas dessas histórias me faziam até perder o sono e nunca imaginei que um dia escreveria para você e pediria ajuda aos amigos da família tupi. Eu me casei muito nova com um homem ruim que achava que pelo fato de colocar comida em casa podia fazer o que quisesse da vida dele e da minha. Meu marido não se importava comigo e por muitas vezes me deixava sozinha doente em casa para cair na gandaia.

Tinha finais de semana que ele nem aparecia em casa e essa foi a minha vida durante muitos anos. Eu tive três filhos e eles cresceram o mais velho e a minha filha do meio se casaram e foram viver em um bairro perto de onde eu moro. Meu filho mais novo de 28 anos continuou morando comigo, todos os meus três filhos sabiam de tudo que o pai deles aprontava na rua, mas eu nunca deixei que os meus filhos interferissem na minha vida de casada. Mesmo assim, eles não se relacionavam muito bem com o pai, eles não concordavam com o que acontecia dentro da nossa casa e eu tentava sempre contornar as coisas. um dia eu estava costurando quando uma pessoa veio até a minha casa e me trouxe a notícia que o meu marido tinha enfartado.

Fiquei assustada, nervosa e essa pessoa me contou que foi na cama de uma das amantes que ele tinha. Logo reuní os meus filhos e contei o que tinha acontecido para eles que providenciaram tudo, eu não omiti nenhum detalhe, contei a verdade e não tive vontade de comparecer ao velório e nem tão pouco ao enterro. Eu decidi continuar levando a minha vida e com a morte do meu ex marido eu recebi um bom dinheiro que dividi entre os meus filhos e aumentei o meu quartinho de costura. Meu filho que mora comigo conheceu uma moça e quando ela ficou desempregada eu a convidei para trabalhar comigo e lhe ensinei tudo que eu sabia. Foi a melhor coisa que eu fiz na minha vida, essa moça tem 25 anos, ela é orfã, vivia com uma tia que a maltratava muito.

Ela é uma moça muito carinhosa, gentil e ganhei uma filha que amo demais e inclusive ela me chama de mãe. Ela e o meu filho começaram a namorar e eu fiz questão que ela e o meu filho se casassem e continuassem morando comigo. Minha nora logo me deu o meu primeiro netinho e eu estava muito feliz com a minha família. Em julho desse ano, a minha nora e o meu filho foram viajar e eu fiquei com o meu netinho, nesse mesmo dia bateu à minha porta uma mulher e pediu que eu fizesse uma roupa para ela, quando eu estava medindo o corpo dessa moça eu notei uma saliência na barriga dela e ela percebeu e disse que estava grávida. Achei normal, bonito e na mesma hora fiquei apavorada quando essa mulher me contou que o pai da criança que ela espera é o meu filho, que eles mantêm um caso há mais de um ano e ele sempre prometeu a ela que iria se separar para que eles ficassem juntos.

Eu expliquei para essa mulher que o meu filho se comportou de forma errada e foi muito irresponsável, disse também que amo a minha nora como se ela fosse uma filha e que faço muito gosto no casamento deles. Pedi a ela que por enquanto não fizesse e nem falasse nada, que eu ia tentar junto ao meu filho conversar e ver o que faríamos. Ela foi embora e eu comecei a pensar no que fazer para resolver essa situação sem que a minha nora saísse machucada ou sofresse. Ela teve uma infância difícil, uma vida sofrida demais e agora que estava feliz o meu filho apronta. Ele está seguindo os mesmos passos do pai e fazendo com a minha nora o que o pai dele fez durante anos no nosso casamento e eu não posso aceitar isso.

Quando eles chegaram de viagem, eu pedi que a minha nora fosse até a casa da minha filha levar algumas peças de roupas que eu tinha consertado e assim que ela virou as costas eu peguei o meu filho de jeito e disse o quanto ele estava me decepcionando e estragando uma união maravilhosa.  Meu filho disse que cometeu um erro, mas que nem tem certeza de que é mesmo o pai da criança que a amante dele espera. Que já tentou terminar esse caso há muito tempo, mas ele gosta também da amante e sabe que está errado e não queria magoar a esposa.

Eu não sei se conto para a minha nora que o meu filho tem uma amante e que ela está grávida, ele não disse o que pretende fazer e eu acho que se eu não me meter ele vai continuar nessa safadeza. Já a amante dele me prometeu que nunca mais iria aparecer na minha casa e não contaria para a minha nora que é a amante do meu filho, mas e o restante? sem saber o que fazer nesse momento complicado, eu preciso de ajuda, preciso muito ouvir uma  “Palavra Amiga”.

0 comentários