22/11/18 - 12:24

Palavra Amiga / Zuleika

Boa tarde heleno e família tupi.

   Tenho 30 anos, sou casada, tenho duas filhas e trabalho como recepcionista em uma clínica de estética. O meu marido tem 35 anos e é vendedor. Eu moro na mesma rua que os meus pais. Junto com o meu marido, nós conseguimos comprar um terreno e lá construímos a nossa casa. Eu fiz questão de morar perto dos meus pais, sou muito agarrada a eles, já os meus dois irmãos nem tanto, claro que eles amam os nossos pais, mas são mais desligados, eles são casados e moram em outro bairro. Meu pai tem 62 anos e além de já estar aposentado, ele trabalha como eletricista, a minha mãe tem 61 anos, é aposentada e é uma ótima dona de casa.

    Meus pais estão casados há 28 anos e desde muito nova eu percebia que a união deles seria para toda a vida. Hoje, eu penso um pouco diferente e acho que se o meu pai não se endireitar ele vai perder a minha mãe, que já anda sem paciência com tudo que ele tem feito. Meu pai não está aceitando muito bem que a velhice está chegando e agora ele cismou de gastar tudo que ganha fazendo diversos procedimentos. Pelo fato de que eu trabalho numa clínica de estética ele não saía de lá, está viciado em botox, faz diversos preenchimentos e eu até pegava alguns descontos, mas ele está sem limites e tornando a vida da minha mãe uma loucura. Ela ganha pouco mais de um salário mínino, faz uso de alguns medicamentos e o que sobra ela tem que vê o vai pagar, pois ela não está podendo contar mais com o salário e aposentadoria do meu pai.

   Mês passado eu paguei a conta de luz que já estava atrasada, minha mãe reclama, briga e não sabe mais como agir com o meu pai. Eu conversei com ele e disse que lá na clínica ele não vai mais e eu tenho o apoio dos profissionais, eu tive que explicar para eles a situação que estávamos passando. Na mesma hora os médicos concordaram e disseram que o meu pai precisa de um tratamento psicológico, mas quem disse que ele quer ir. Eu falei com os meus irmãos e eles acharam que esse problema do meu pai é passageiro e que é para eu e a minha mãe termos mais tolerância. Quando eu digo que as contas da casa estão atrasadas os meus irmãos vão tirando o corpinho fora e com isso eu estou ficando bem endividada.

   Meu marido não se importa que eu ajude os meus pais, mas ele sabe que com esse gesto eu pareço que estou estimulando o meu pai a continuar não aceitando a idade que tem e passando de todos os limites. Eu descobri que ele pegou um empréstimo para fazer outro procedimento numa clínica que não é a que eu trabalho. Minha mãe acha que o nome disso não é vaidade e sim amante. Ela desconfia que o meu pai conheceu alguém e por isso anda exagerando, ela viu alguns comprimidos azuis no bolso da calça dele e foi tirar satisfações, meu pai disse que era para eles dois, minha mãe teve que engolir mais esse sapo, pois, viu que a embalagem estava intacta. A verdade é que o meu pai sempre foi um homem que se cuidou muito a vida toda, ele nunca fumou, só bebe socialmente e pratica todos os dias até hoje atividade física.

   A minha mãe não, ela fuma, nunca gostou muito de exercícios e parece que envelheceu mais do que o meu pai. Isso nunca tinha sido um problema na vida deles, mas agora está sendo. Eu que moro perto deles tenho assistido a tudo sem saber como agir para poder ajudar a minha mãe, já que ela é a que mais tem sofrido com essa situação. Meu pai continua com os procedimentos dele, cada vez se endividando mais e a única forma de eu ajudar a minha mãe nessa hora é pagando algumas contas da casa dela e sem saber o que fazer nesse momento muito delicado, eu preciso de ajuda, preciso muito ouvir uma “Palavra Amiga.”

0 comentários